Beltane

Espero que estejas bem neste último dia de Abril.

Um Abril com chuva q.b. tão essencial para o solo e para as plantas.

Um mês repleto de sementeiras e plantações e de cuidado do que já está na terra.

Por aqui o verbasco brilhante e prateado embeleza pontos aqui e acolá entre o verde gritante da erva que cresce a olhos vistos.

O pilriteiro veste-se de folhas como um renascer da morte.

Os bolbos de frésias pararam de florir e as saponárias começam agora a dar um ar da sua graça.

As couves rebentam todas, mesmo aquelas que pensava não poderem dar mais!

Tudo renasce do Inverno, mesmo numa Primavera que às vezes é tão fria que parece estar fora de estação.

Mas é mesmo assim, um mistério todos os dias.

Talvez chova talvez não.

Talvez faça sol talvez ele não apareça.

Talvez hoje seja dia de trabalhar lá fora no terreno, ou talvez seja dia de estar cá dentro seja a cozinhar ou a transformar as plantas em medicina e produtos de cuidado corporal.

Talvez hoje seja dia de estar lá fora sentada no chão ou no banco de jardim a meditar ou de fazer isso mesmo, mas cá dentro.

A palavra "talvez" revela mistério.

Porque estas últimas semanas são a prova disso mesmo: como um plano semanal de actividades se transformou noutro completamente diferente.

Porque presença é isso mesmo, uma resposta no momento.

Resposta que pode ser diferente na mesma situação em diferentes dias.

Não porque se vai ao som da maré, mas porque a evolução decorre, o desenvolvimento.

E o mistério é real.

Por agora, vou só ali fora colher umas giestas e colocá-las no carro e na entrada de casa. Um costume que muita gente continua a fazer, uns não sabendo bem a razão e outros cientes que não querem o "diabo" nas suas vidas.

Por mim, amando as tradições celtas e nacionais de Beltane, eu opto por ir colher umas maias, colocá-las por todo o lado e não só nos meus altares.

Que estas maias à porta de casa representem o meu compromisso para com a verdade, a Consciência que eu sou, o Amor que nos aconchega e o brilho de um fogo que arde no peito e que me move e é vida.

Desejo a tod@s vós um belíssimo Maio.

E que Beltane seja a celebração da verdade e da alegria profunda que tod@s somos e que nos guia, como uma estrela no céu. Uma alegria expontânea e que é na verdade o rejubilar em estar viv@, aceitando a vida como ela é e questionando o que tem de ser questionado.

Abraço-vos com carinho,

Raquel PW