Como amar um corpo cheio de feridas e cicatrizes?

capa do livro de Nicki Naomi "From scars to beauty"

Um corpo.

Igual e diferente a tantos outros.

Igual na sua essência, diferente nas suas particularidades.

Aceitação ou não.


> PERGUNTA:

Aceitas o teu corpo, tal como ele é?

Porquê?


Olha bem ao espelho, de todos os ângulos.

E vê-te tal como és.

Nas curvas, nas cores, nas formas e texturas.

Nos cheiros e sensações.

Naquilo que emanas e sentes.


E depois de veres tudo aquilo que vês, olha mais fundo.

Numa dimensão que não é visível a olhos nus.

Que se vê de olhos fechados.

Que se lê sem filtros.

Que se cheira bem de perto.


E depois, volta de novo à tua forma, no espelho.

E vê-te de novo.

Olha-te profundamente e lê-te.

Na tua beleza.

Na beleza que não é tua, mas que és, simplesmente, tal como tudo é.

Na profundidade de uma história que te é particular, mas com a qual muita gente se pode relacionar.


Abraça-te nessa história.

Abraça o todo que expressas.

Abraça o Mundo.

Abraça a Natureza amorosa que se expande cada vez que te amas, em cada pormenor a que te dedicas.

No amor que é a verdadeira magia de um corpo físico.

Abraçado por um ser espiritual.

Mas nada é separado de nada.


Porque corpo é espírito e espírito é corpo.

E o corpo vai além desta massa orgânica funcional e mágica.


Entrega-te a esta magia.

Entrega-te às cicatrizes, às manchas, às borbulhas, celulite e pêlos.

Entrega-te a ti.

Entrega-te ao amor e à divindade desse ser maravilhoso e expansivo que és.

imagem retirada daqui