Perfeição

Há alturas em que é óbvio que algo tem de ser largado.

Seja fisicamente ou em termos mentais ou espirituais.

Estando nesta jornada de cura dos meus intestinos, apercebi-me que a cura de uma parte do corpo acarreta muito mais do que essa parte: a totalidade do ser nas suas diferentes expressões e linguagens. Uma cura realmente holística.

E parte do processo de cura está em reconhecer aquilo que não serve mais à evolução tanto do ser humano em causa como da humanidade em geral.

Porque esta jornada é pessoal, há indivíduos que estão doentes e procuram um caminho de cura e é também mais alargada no sentido de tocar, ter uma influência, em mais do que apenas o indivíduo.

Neste reconhecimento da sombra, do que não serve mais e no seu abraçar é claro que todos passamos pelo mesmo. Pode ter diferentes expressões, diferentes cores e sabores, cheiros e aparências, mas há algo comum para toda a gente: uma vontade profunda em mudar, em querer ser-se quem se é, encorporad@ num corpo saudável e que apoie a verdadeira expressão de luz/Consciência/Deus/Universo/Amor que toda a gente é.

Um dos insights que tive durante o tratamento na Índia foi o apego que insistia a determinadas coisas. Incluindo o que significa apego, como desapegar e o aspecto do processo de desapego.

Largar, largar, largar.

¥ largar o quê?

¥ quem quer largar?

Quando se está num processo físico (intenso ou não), tudo parece especial ou mais difícil do que algo que não é físico. Porque o físico parece mais real do que outra coisa qualquer. Porque se vê, porque é matéria. Mas será isto verdade?

O encorporamento, o abraçar da vida é Consciência, aquilo que não se vê é Consciência.

Tudo surge da Consciência e é ela própria.

Então porquê complicar?

Simplicidade sempre!

Há algo no corpo que quer ser descartado: cristalizações intestinais velhas, antigas. As massagens promovem este descarte e a medicina natural também, mas ao largar ideias de como é e quando esse descarte é ou será feito e se irá alguma vez acontecer estamos verdadeiramente a largar.

Porque não há nesse momento o apego à ilusão que a limitação e a separação são reais.

Responder a cada momento àquilo que é pedido em Amor, pelo Amor.

E neste desapego, ouvir, ver e sentir sem expectativas.

Perceber que, neste caso, o que não serve mais é o apego à ideia que a perfeição é essencial, que eu não sou ninguém se não for e se não fizer tudo de uma forma perfeita, que o abandono pelas outras pessoas e' a consequência de alguém não ser perfeito.

"Start before you are ready" - Marie Forleo

A perfeição é uma ilusão.

O querer expressar-se na sua totalidade é real, o querer ser Amor é real, a beleza na resposta constante é real, as diferentes expressões no mundo, sejam humanas ou não, são reais.

"But this revolutionary act of treating ourselves tenderly can begin to undo the aversive messages of a lifetime." - Tara Brach

Eu comprometo-me a ser Amor, apenas. Em tratar este corpo com amor e carinho, atenção. A não ser as histórias do passado, as vozes que ouvia e ainda ouço de não merecimento, de dor e de raiva, de medo.

E tu?

Procuras perfeição?

Como se expressa essa perfeição?

A que te comprometes?

_________________

Enche a tua chávena de chá e junta-te a mim, aqui.